Quarta-feira, 23 de Março de 2005
Terrorismo em Portugal
Já está, o terrorismo chegou a este país pacato á beira mar plantado (estou-me a referir a Portugal). Numa operação a todos os níveis fenomenal, a GNR em colaboração com o Grupo de Capoeira de Unhais da Serra desmantelou uma rede terrorista que se preparava para atacar em Portugal, mais concretamente na embaixada da África do Sul, reivindicando desta forma o fim do Apartheid e a libertação de Nelson Mandela. Estavam, também, previstos ataques a restaurantes MacDonald em protesto contra o aumento do preço dos menús, de 3,75€ para 3,95€.

Esta rede era constituída por radicais jeovás que se martirizavam conduzindo camiões TIR carregados de revistas Sentinela e Cais contra o objectivo pré-definido. A forma como se convenciam estes jovens jeovás a suicidarem-se era semelhante aos mártires muçulmanos, ou seja, era prometida entrada imediata no paraíso onde 70 e tal virgens esperariam o mártir. Ora aqui residiu a primeira falha no esquema idealizado pelas altas esferas da Igreja Jeová, pois se os seguidores desta religião só podem ter relações sexuais 1 vez por semana, para que quereriam 70 e tal virgens?? Outra situação que conduziu ao falhanço da operação foi o elevado preço pedido pelas rent-a-cars para o aluguer dos camiões.

A conjugação destas duas situações levou á adopção do plano B que consistia na contratação de mercenários Helderes, que após meses de treino em campos........de treino....(o principal treino consistia em fazer com que eles se aproximassem de uma porta sem terem o impulso de tocarem á campainha) estes indivíduos atirar-se-iam contra o objectivo com as suas sacolas carregadas com as revistas atrás referidas.

A adopção por este plano B facilitou a tarefa da nossa mui nobre e eficiente Guarda Nacional Republicana pois os suicidas helderes revelaram um nível de cultura geral altamente superior aos jeovás, sabendo, por isso, que o Apartheid já tinha acabado e que o Nelson Mandela já estava em liberdade. Por outro lado os meses de treino investidos nestes indivíduos foram absolutamente ineficazes, o que fez com que aquele impulso para tocar á campainha se revelasse em momentos cruciais. Se a isto juntarmos o facto de os MacDonalds não terem campainhas á entrada, pode-se facilmente adivinhar a atrapalhação que se apoderou do terrorista responsável pelo ataque ao Macdonalds de Freixo de Espada-á-Cinta.

Nesta operação da GNR foram presos 8 individuos do sexo masculino e 70 virgens do sexo feminino, sendo apreendidos 2 automóveis, diversos telemóveis, 2 sacolas Eastpack e 2 cães raça Pincher.


Texto da responsabilidade de jesusinfurs às 14:55
link do post | Digam de vossa justiça | favorito

1 comentário:
De Não sei como me chamo a 2 de Abril de 2005 às 20:38
Bem, digo-te já, tens uma imaginação, txxiiii!!!!
Demais!!!! Mas continua assim. É preciso haver pessoas assim, com sentido de humor pra fazer uma pessoa rir nesta m*r*a de vida. BOM TRABALHOTânia
</a>
(mailto:starsstaania@hotmail.com)


Comentar post